top of page
  • Foto do escritorDanilo Ibanez Spaziani

Qual é o processo para legalizar uma carroceria?


A legalização de uma carroceria é de suma importância para atender as normas regulatórias, validando as adaptações que foram realizadas e resultando em seu emplacamento. E no Brasil, cujo transporte de mercadorias é amplamente conduzido através do modal rodoviário, esses procedimentos se tornaram frequentes, levantando debates sobre a burocracia que os envolvem.


O mercado automotivo se reinventa de forma vigorosa, oferecendo soluções aos mais variados segmentos da economia e contribuindo com a otimização dos processos logísticos. Porém, conforme veículos com características cada vez mais específicas são desenvolvidos, torna-se prioritária a averiguação da sua segurança, tendo em vista a incidência expressiva de acidentes no país. 


Neste contexto, os órgãos reguladores determinam a homologação das carrocerias, que, ao serem submetidas a transformações estruturais, ficam mais suscetíveis a falhas. Assim, serão analisadas as condições técnicas do veículo, o que norteará a sua legalização em um segundo momento. 


Por isso, as fabricantes de carroceria para caminhões não devem negligenciar esse processo sob nenhuma hipótese, de maneira que os modelos cumpram com os seus atributos e, principalmente, proporcionem viagens seguras. A documentação que compreende as etapas homologatórias, no entanto, desperta inúmeras dúvidas, e será esclarecida abaixo para orientá-lo. 


1. Inmetro exige o CCT por parte do transformador


Tal como qualquer prestação de serviço, há uma legislação específica voltada para o setor de adaptações veiculares. E nem poderia ser diferente, levando em consideração que se trata de um procedimento técnico dificultoso, cujas etapas requerem especialistas para garantir um resultado final adequado.


Em razão disso, o Inmetro estabelece a necessidade da emissão do CCT (Certificado de Capacitação Técnica), que, por sua vez, é obtido após a averiguação da aptidão da empresa para exercer esse ofício. Deste modo, evita-se abertura desenfreada de empresas para esses fins, que, eventualmente, não reúnem as condições ideais para atuarem em um setor tão complexo. 


É importante enfatizar que o documento em questão contém a validade somente de 2 anos, e sua emissão é atribuída a um OIA (Organismo de Inspeção Acreditado), o qual será responsável pelo início do processo homologatório. Apesar do consumidor final desconhecer essa certificação, ela é crucial para identificar a capacitação de cada transformador, favorecendo a entrega de veículos em conformidade com suas exigências.


2. Obtenha o LCVM  


A legalização de uma carroceria está condicionada a emissão do LCVM por parte do seu transformador. Isto porque o Ibama exige uma averiguação técnica no modelo cujo objetivo é medir suas emissões veiculares – tanto poluentes quanto ruídos.


Á medida que o responsável pela inspeção constata que o veículo respeita os requisitos mínimos estabelecidos pela legislação, o documento é prontamente emitido, permitindo o prosseguimento da homologação. De forma resumida, sua obtenção atesta o cuidado do transformador de veículos para com o meio ambiente, contribuindo efetivamente para a redução da poluição do ar e poluição sonora.


Trazendo à tona a proeminência que o debate sobre a transição energética possui no mundo, torna-se prioritário não excedermos os limites determinados pelo órgão regulador, sobretudo ao considerarmos os expressivos trajetos percorridos por veículos que utilizam essas carrocerias.



3. Garanta o seu CAT Veicular


Em meio ao processo de modificação que um veículo é sujeito, o Senatran é categórico em relação à averiguação de seus itens de identificação, de segurança passiva e de segurança passiva. Desta maneira, a obtenção do CAT (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito) torna-se indispensável, correspondente a um estágio conclusivo da homologação.


E ao tratarmos de uma carroceria, não é diferente, ainda mais ao observamos a magnitude que suas estruturas dispõem. Embora haja carrocerias variadas e utilizadas com intuitos distintos, as normas que as regulamentam e antecedem sua legalização são as mesmas, ressaltando a importância da homologação para todos seus fabricantes. 


O processo em questão pode levar até 7 meses, e não pode ser adiado, a fim de que toda a documentação relativa à legalização do veículo seja providenciada. É válido pontuar que, durante a condução das demandas visando a entrega do CAT Veicular, os equipamentos presentes no veículo são submetidos a ensaios, cujo propósito é a comprovação de eficácia. 


Assim, seu condutor desfrutará de um veículo em conformidade com todas as diretrizes da legislação, e terá sua integridade física preservada, uma vez que os dispositivos de segurança funcionarão corretamente quando acionados. 


Quais são os principais tipos de carroceria?


Um fabricante de carroceria para caminhões poderá ofertar transformações de variados modelos, já que a gama de clientes no setor se expande a cada dia. Afinal, o dinamismo da economia produz necessidades distintas de acordo com cada mercado, as quais podem ser atendidas por essas empresas na esfera logística. 


Embora o transporte de mercadorias por vias terrestres enfrente diversos desafios relacionados à eficiência e segurança, como o congestionamento, risco de acidentes, despesas com combustíveis e regulamentação complexa, trata-se de uma alternativa muito explorada pelas empresas — especialmente no Brasil.


A seguir, elencaremos as carrocerias mais avistadas nas rodovias nacionais:


  • Carrocerias abertas, as quais se destacam carrocerias de grade alta, carrocerias de grade alta, caçamba e prancha.

  • Carrocerias fechadas, exemplificadas pelas carrocerias baú, carrocerias baú frigorífico e carroceria baú lonado.

  • Carrocerias especiais, como as caçambas basculantes, carrocerias florestais, boiadeiras e carrocerias tanques.

A gestão da cadeia de suprimentos atribui aos veículos mencionados acima uma significativa responsabilidade. Por isso, desprezar ou adiar a obtenção do CAT para carroceria ocasionará consequências desastrosas ao seu negócio.


Qual empresa pode me auxiliar na legalização de uma carroceria?


Não há mais dúvidas quanto a importância das documentações exigidas pelos órgãos reguladores durante as fabricações ou transformações de carrocerias. Mas é compreensível seu desconhecimento em relação a esse processo burocrático, o qual é especialidade da VIP Engenharia.


Somos a principal referência do setor de homologações veiculares, proporcionando experiências positivas aos mais variados públicos. E, para garantir sua tranquilidade e o foco irrestrito nas etapas produtivas, nos responsabilizaremos pela legalização da sua carroceria.


Conduzindo um procedimento minucioso e pautado pela excelência, nos comprometermos a garantir o CCT, LCVM e CAT Veicular com agilidade, permitindo que as modificações estruturais sejam validadas pela legislação e os veículos sejam prontamente registrados, licenciados e emplacados. 


Clique aqui para solicitar contato com nossos especialistas, que prontamente te

ajudarão!


16 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page