top of page
  • Foto do escritorDanilo Ibanez Spaziani

Homologação de reboque: Saiba por que esse processo é indispensável a um fabricante


Um carro levando um reboque

A homologação de reboque significa uma etapa fundamental em meio a sua fabricação. E levando em consideração que, nas vias e rodovias do país, esse veículo se faz cada vez mais presente, seus fabricantes devem se atentar à legislação que determina a emissão de documentos por parte dos órgãos reguladores.


Neste sentido, o Senatran, Ibama e Inmetro exigem dos empreendedores que os reboques sejam submetidos aos processos de homologação, a fim de que constatem se atendem aos padrões de segurança e qualidade – o que proporcionará satisfação ao consumidor final. Apesar do transporte fluvial contemplar menores custos, uma pesquisa realizada pelo Custos Logísticos apontou que 75% de toda a produção brasileira é transportada através do modal rodoviário.


Por consequência, a demanda pela aquisição de um reboque tornou-se vigorosa, representando uma alternativa extremamente funcional aos profissionais do setor. Tendo em vista que um reboque pode ser acoplado em automóveis diversos, ampliou-se a capacidade de armazenamento dos veículos rodoviários, que, respaldados por um espaço adicional, colaboraram com a otimização do segmento logístico no Brasil.


Não é novidade que, no país, os acidentes de trânsito são registrados com frequência, reforçando a necessidade de que um reboque apresente a segurança necessária para trafegar. No último ano, quase 65 mil desastres ocorreram nas rodovias federais, e à medida que um reboque é homologado, minimiza-se a chance de que se envolvam nesses contratempos.


Primeira etapa da homologação: Emissão do CCT


Para que um veículo seja desenvolvido por completo, desde sua idealização até a chegada nas concessionárias, demanda entre 4 e 5 anos. Posteriormente, quando o automóvel já está validado e inserido em uma linha de montagem, sua produção pode levar menos de 24 horas, fruto do avanço tecnológico que otimizou as etapas produtivas.


Contudo, o ingresso no mercado de fabricação veicular envolve burocracias, que requerem esforços para que, assim, o empreendedor possa faturar em um setor extremamente consolidado. Portanto, caso almeje produzir reboques de forma segura e prudente, é necessário que obtenha o CCT (Certificado de Capacitação Técnico), representando um documento que garantirá a aptidão da sua empresa para atuar no segmento.


Segundo projeções, há a expectativa de que a fabricação de veículo cresça 2,2% em 2023 em relação ao último ano, revelando a vitalidade do mercado automobilístico e atendendo aos mais variados públicos. Por isso, é imprescindível que aja de maneira responsável e, diante do desejo de comercializar reboques, cumpra a determinação do Inmetro, que atribui ao Organismo de Inspeção Acreditado (OIA) a incumbência de disponibilizar o CCT.


Quanto custa um reboque?


A importância de um reboque durante as atividades produtivas do país é inegável, oferecendo praticidade e economia no transporte de cargas diário. Deste modo, tornou-se comum avistarmos esse veículo em vias e rodovias, inclusive por envolverem um elevado custo-benefício.


A partir de R$ 5 mil, é possível adquirir um reboque de modelo aberto, ao passo que a aquisição de um reboque fechado requer um investimento ligeiramente superior, em torno de R$ 10 mil. Apesar do valor relativamente acessível, o veículo dispõe de uma superfície de carga, estrutura metálica robusta e rodas, e sua segurança e qualidade são atestadas por uma homologação.


Abaixo, confira algumas cargas costumeiramente transportadas por reboques:

  • Motocicletas

  • Jet-skis

  • Barcos

  • Animais

  • Malas

  • Maquinários

  • Materiais de Construção


É necessário pagar IPVA de um reboque?


À medida que compramos um veículo, devemos nos preocupar com impostos e taxas que estabelecidas pela legislação, a fim de que trafeguemos de forma lícita. E o IPVA, um imposto exigido para veículos automotores, não deve ser pago pelos proprietários de um reboque, uma vez que eles não possuem tração própria e circulam mediante o engate na traseira de outro automóvel.


Com a possibilidade de ser acoplado a um carro, caminhão e até motocicleta, o veículo também é conhecido como “carretinha”, e difere-se dos semirreboques, apesar da maioria das pessoas desconhecerem as diferenças entre esses veículos. O semirreboque, ao contrário do reboque, deve ser conectado a um veiculo pesado e possui de um a três eixos, sendo tradicionalmente avistados nas rodovias do país.


Dentre os acessórios que podem ser incorporados a um reboque, citamos os engates, lanternas, estepes, setas, faixas sinalizadoras reflexivas, freios de estacionamento, para-choque e para-lama. Prezando pela segurança, o transporte de pessoas em um reboque da espécie carga é terminantemente proibido, a fim que a integridade física delas seja preservada.


Etapa final da homologação: Obtenha o CAT


Sucedendo os ensaios veiculares, cuja função é averiguar a eficácia dos dispositivos de segurança de um automóvel, você deve direcionar as atenções à emissão do Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito (CAT). É compreensível que, ao iniciar um novo negócio, o empreendedor lide com dúvidas relacionadas à burocracia, e procure focar na atividade produtiva o mais rápido possível.


Porém, a obtenção desse documento é primordial para os fabricantes de reboque, garantindo que o veículo está em conformidade com as exigências do Senatran. Nesta etapa, são examinados os itens de identificação, de segurança passiva e de segurança ativa do veículo, que são de suma importância para o consumidor final presenciar a melhor experiência possível ao adquiri-lo.


Ao concluir esse processo, o fabricante obterá um código específico de marca/versão/modelo do RENAVAM, que, por sua vez, assegurará o registro, licenciamento e emplacamento do veículo. A homologação para fabricantes de reboque demanda cerca de 7 meses, para que, finalmente, o empreendedor possa focar definitivamente na sua rotina de trabalho.


Quem pode me assessorar na homologação de reboque?


A VIP Engenharia representa a melhor escolha diante da necessidade de homologar um reboque. Consolidada como a referência do mercado de homologação veicular e reunindo uma equipe que não mede esforços para superar as expectativas dos clientes, conduzimos esse processo de forma transparente e hábil.


Portanto, quando os órgãos reguladores entrarem em contato com você, a fim de que sejam emitidos o LCVM e o CAT, tranquilize-se e, prontamente, recorra aos profissionais da nossa empresa. Assim, o proporcionaremos uma experiência que alia a excelência ao custo-benefício, a partir de um atendimento personalizado e focado na necessidade do cliente.


Clique aqui para solicitar contato com nossos especialistas, que prontamente te

ajudarão!


110 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page