top of page
  • Foto do escritorDanilo Ibanez Spaziani

Homologação de moto elétrica: Confira sua importância para fabricantes e importadores


Dois homens andando em duas motos elétricas.

A escolha de uma motocicleta em detrimento de um carro como meio de locomoção justifica-se por alguns fatores: preço, agilidade e praticidade. No Brasil, a presença de motocicletas é superior aos automóveis em 45% das cidades, expondo os benefícios de apostar neste veículo nos dias atuais.


Tratando-se das vendas de motocicletas em 2023, contudo, observamos o avanço de 23,9% nas unidades comercializadas, revelando uma tendência de mercado responsável por movimentar uma indústria de bilhões. Em meio à busca por inovação aliada à economia, as motos elétricas despontam como as preferidas dos entusiastas da categoria, e as perspectivas do mercado apresentam otimismo.


Fato é que, como uma motocicleta não envolve um aparato físico em volta do motociclista, é natural que tratem o veículo como um sinônimo de insegurança. Só que, ao contrário do que muitos pensam, a segurança no meio de locomoção não depende somente de uma condução prudente, mas sobretudo de uma homologação conduzida com responsabilidade.


LCVM e CAT: Saiba por que esses documentos são necessários


Homologar uma moto elétrica é, assim como uma motocicleta tradicional, uma tarefa burocrática, que envolve rigorosos processos técnicos. E tanto um fabricante quanto um importador devem se atentar às solicitações de Ibama e Senatran, órgãos reguladores determinantes para o licenciamento do veículo.


Mesmo que uma motocicleta elétrica preze pela sustentabilidade, é fundamental a emissão do seu LCVM (Licença para Uso da Configuração de Veículo ou Motor), que tem por objetivo averiguar se o veículo se adequa aos limites relacionados às emissões veiculares – desde ruídos até poluentes. Por fim, certifique-se de emitir o CAT (Certificado de Adequação a Legislação de Trânsito), a fim de verificar os itens de segurança e identificação do modelo.


Sem homologar as motos elétricas, posso vendê-las?


Não. É compreensível que milhares de investidores identifiquem nas motos elétricas a oportunidade do sucesso, ao observarem os modelos tomando cada vez mais conta das ruas do país. Porém, para que os veículos obtenham o registro junto ao Renavam e, posteriormente, sejam emplacados, a homologação é indispensável.


Atuando como uma ferramenta para atestar a garantia, qualidade e segurança do veículo, a homologação pode levar até 7 meses e também compreende ensaios veiculares, cujo objetivo é garantir a eficácia de seus dispositivos de segurança.


Qual empresa pode me ajudar no processo de homologação veicular?


A VIP Engenharia é a principal expoente do mercado de homologação quando se trata de excelência. Familiarizada com a homologação de veículos elétricos e até motos elétricas importadas, oferecemos soluções personalizadas aos nossos clientes.


Em crescente prestígio por não serem poluentes, não apresentarem barulho, fornecerem elevada economia e serem isentas de IPVA, as scooters elétricas ditam os rumos do mercado de motocicleta atualmente. Abaixo, listaremos os modelos mais procurados do setor, e seus respectivos preços:

  • Voltz EVS – R$ 19.990

  • Super Soco TC Max – R$ 45.990

  • GWS K14RS – R$ 133.000

  • GWS K8000R – R$ 49.240

  • Voltz EV1 Sport – R$ 14.990


Clique aqui para solicitar contato com nossos especialistas, que prontamente te ajudarão!

Comments


bottom of page