top of page
  • Foto do escritorDanilo Ibanez Spaziani

Fabricante de veículos especiais: Guia completo para sua homologação


A transformação de veículos especiais despontou como uma opção promissora aos investidores do setor automotivo. Ainda assim, trata-se de um nicho desconhecido e que desperta dúvidas por parte dos empreendedores, sobretudo em relação a legislação determinada pelos órgãos reguladores.


Para sintetizar, os veículos especiais reúnem características pouco convencionais, e que apresentam uma funcionalidade específica para atender a uma determinada demanda. A partir de uma alteração estrutural, o modelo adequa-se a necessidade do seu cliente, de forma que tanto o transporte de carga quanto a prestação de serviços no veículo sejam conduzidos com praticidade.


Levando em consideração que os veículos especiais não apresentam a condição estrutural adequada em um primeiro momento e, por isso, precisam ser moldados, uma oferta de mão de obra capacitada foi mobilizada para atender a esse público. Deste modo, o setor de transformações veiculares movimentou R$1,5 bilhão no último, oferecendo soluções na iniciativa pública e privada, e beneficiando a economia de forma geral.


No entanto, as empresas atuantes neste mercado não podem menosprezar os detalhes e, em meio ao processo de adaptações veiculares, devem concentrar os esforços na homologação dos modelos. Compreendendo etapas burocráticas que estão condicionadas a obtenção de documentos pelos órgãos reguladores, são de suma importância para atestar a segurança e qualidade do veículo, que, assim, trafegará pelas vias e rodovias sem empecilhos. 



Quais são os veículos especiais?


Os veículos especiais desempenham funções distintas e detém atributos que os distinguem dos carros que adquirimos nas concessionárias. Uma ambulância, por exemplo, representa um desses modelos, resultantes da adaptação de um veículo submetido a alterações em sua estrutura física. 


Tal como a ambulância, uma viatura exibe particularidades que dependem de transformadores de veículos, e possuem uma função social, prestando um serviço indispensável à segurança pública. O carro funerário, por sua vez, é demanda recorrente deste mercado, uma vez que passa por adaptações relacionadas ao seu comprimento com a finalidade de estender a distância entre-eixos.


As vans destinadas ao transporte escolar são mais um exemplo de veículo especial, já que são sujeitas a mudanças em sua carroceria para providenciar um meio de locomoção seguro aos estudantes. Os foodtrucks, guindastes, caminhões de bombeiro e petshop móveis são modelos que também carecem de adaptações dos profissionais deste mercado, revelando a pluralidade de públicos impactados.



1ª fase da homologação: Emita o CCT (INMETRO) 


Quando optamos por um ramo de atuação em detrimento de outro, geralmente reunimos maior familiaridade com a atividade que será exercida. E para empresas de transformação de veículos não deve ser diferente, a fim de que seu cliente desfrute de um veículo amplamente funcional e, principalmente, provido de segurança para circular nas estradas. 


Neste sentido, a emissão do CCT (Certificado de Capacitação Técnica) consolidará a credibilidade da sua empresa, assegurando que você possui a aptidão necessária para ofertar esse tipo de serviço. Para que todas as adaptações estejam em conformidade com as demandas solicitadas, o INMETRO precisa se certificar em um primeiro momento da sua qualificação.


Portanto, empenhe-se na obtenção desse documento para que você empreenda de forma lícita e responsável. O documento em questão possui a validade de 2 anos e, caso esteja na iminência de vencer, recomendamos que o transformador de veículos solicite sua renovação com pelo menos 60 dias de antecedência.


Após o Organismo de Inspeção Acreditado (OIA) concedê-lo o CCT, você poderá dar andamento aos pedidos que receber. Porém, enfatizamos que outras etapas da homologação ainda estarão pendentes, e exercem um papel essencial na garantia de qualidade dos modelos. 



2ª fase da homologação: Emita o LCVM (IBAMA)


Superada a exigência do Inmetro para a homologação do veículo transformado, o empreendedor deve se deparar com uma solicitação do IBAMA, que determina a emissão do LCVM (Licença para Uso da Configuração de Veículo ou Motor). Durante as adaptações estruturais promovidas no automóvel para transformá-lo em uma van escolar, ambulância ou foodtruck, o aspecto ambiental não deve ser negligenciado.


Por isso, o órgão regulador atribui à empresa transformadora a obrigação da emissão do documento, que atestará se os modelos não ultrapassam os limites de emissões veiculares estabelecidos na legislação. Essas emissões consistem em poluentes e ruídos, cujo impacto negativo ao bem-estar da população é inquestionável. 


Embora muitos dos veículos transformados prestem um serviço de interesse público, será incompatível com o bem comum se agredirem o meio ambiente. E considerando que o Brasil é o 4º país do mundo que mais emite gases poluentes, reforça-se a importância de que adotemos condutas para reverter esse cenário adverso.



3ª fase da homologação: Emita o CAT (SENATRAN)


Apesar da conclusão da homologação levar até 7 meses, é preponderante que o fabricante se atente à sua última etapa, que consiste na obtenção do CAT (Certificado de Adequação à Legislação de Trânsito). A responsabilidade diante do volante é inegociável, e endossa o compromisso para com o combate de acidentes. 


Só que, para a integridade física do condutor e passageiros ser resguardada, o transformador deve submeter os modelos aos mais criteriosos ensaios veiculares. O processo em questão averigua a eficácia dos dispositivos de segurança passiva e ativa do veículo, o que reduz a incidência de ocorrências de trânsito.


Posteriormente, há uma inspeção dos itens de identificação do automóvel, que precede o término da homologação. Assim, o SENATRAN autoriza a emissão do CAT, e o RENAVAM concede ao empreendedor um código específico de marca/versão/modelo, possibilitando que o veículo seja devidamente registrado e emplacado.



Qual empresa pode me auxiliar na homologação de veículos transformados?


A VIP Engenharia se compromete a proporcionar ao transformador de veículo a melhor experiência na homologação automotiva. Reunimos profissionais experientes e que, ao longo de anos, encarregaram-se do atendimento para fabricantes de modelos como:


  • Motorhomes

  • Food Trucks

  • Buggies

  • Âmbulâncias

  • Trailers


Deste modo, recebemos milhares de feedbacks positivos, que nos motivam a buscarmos uma constante atualização. A legislação de trânsito é irredutível quanto a obrigatoriedade da emissão dos documentos solicitados por INMETRO, IBAMA e SENATRAN, por isso, recorra a quem é referência na prestação desse serviço e, assim, foque integralmente nas adaptações veiculares. 



Clique aqui para solicitar contato com nossos especialistas, que prontamente te

ajudarão!


27 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page