top of page
  • Foto do escritorDanilo Ibanez Spaziani

Esclarecendo as dúvidas mais frequentes sobre a homologação veicular


Fila de ambulância homologadas.

Apesar de cada vez mais indivíduos considerarem a possibilidade de adquirirem um automóvel, não é de conhecimento generalizado os detalhes que envolvem sua fabricação e, sobretudo, sua homologação. Objetivamente, a homologação de um veículo representa a garantia de que seu desenvolvimento foi conduzido de maneira segura, atentando-se às exigências dos órgãos reguladores para que, ao ser comercializado, não ofereça riscos à integridade física de seu proprietário.


Levando em consideração que a adesão a esse processo é uma responsabilidade do importador, fabricante ou transformador do veículo, constitui uma etapa nebulosa, que traz questionamentos ao empreendedor em razão de sua extensa burocracia. Neste sentido, há a prerrogativa de contratar empresas especializadas na intermediação entre clientes e órgãos reguladores, oferecendo soluções em meio à homologação.


Quanto tempo o veículo demora para ser homologação?


Diante do entusiasmo para regularizar os veículos fabricados e, finalmente, comercializá-los, é compreensível que você tenha pressa, uma vez que os investimentos no setor automotivo não costumam ser modestos. Por outro lado, a segurança do consumidor ao comprar um carro deve ser inegociável, reforçando a importância de que o empreendedor submeta o modelo a todas as checagens determinadas pela Legislação de Trânsito.


Considerando a emissão de todos os documentos exigidos pelo Inmetro, Ibama e Senatran, o automóvel deve estar integralmente homologado em até 7 meses. Deste modo, o emplacamento será autorizado, permitindo que o consumidor trafegue de forma lícita.


Por que a emissão do CCT e LCVM são essenciais?


Trazendo indicativos que representam uma tendência de mercado, a produção de veículos cresceu 5,4% no último ano, de acordo com a Anfavea. A fim de que a oferta supra a demanda de cada vez mais clientes, a homologação de novos veículos torna-se prioritária.


Por isso, caso seja fabricante, importador ou transformador de veículos, certifique-se de emitir o CCT (Certificado de Capacitação Técnica), cuja função é atestar se sua empresa está apta a realizar esse serviço. Posteriormente, concentre esforços na obtenção do LCVM (Licença para Uso da Configuração de Veículo ou Motor), que tem por objetivo averiguar se o automóvel respeita os limites de emissões veiculares – poluentes e ruídos – impostos pelo Ibama.


Ensaios veiculares e CAT veicular são realmente necessários?


Em meio à fabricação de um veículo, é natural que a busca por desempenho esteja no imaginário popular. Porém, a segurança costuma representar o objetivo central deste processo, e depende da realização de ensaios veiculares – encarregados de testar a eficácia de seus dispositivos de segurança.


A emissão do CAT (Certificado de Adequação a Legislação de Trânsito (CAT), por fim, determinará se o automóvel se ateve às determinações do Senatran relativas a itens de identificação e segurança veicular, permitindo seu registro no Renavam.


Qual empresa pode me auxiliar na homologação veicular?


Tanto no que refere à emissão do CCT, quanto em relação ao LCVM e CAT, a VIP Engenharia apresenta a solução ideal para o empreendedor do ramo automotivo. Através de profissionais altamente conceituados, nos comprometemos a conduzir um processo de homologação pautado pela excelência.


Assim, asseguraremos que suas expectativas serão superadas, e você retomará as fabricações sem preocupações, já que conquistará credibilidade perante o seu cliente e se tornará referência do setor.


Clique aqui para solicitar contato com nossos especialistas, que prontamente te ajudarão!


Comments


bottom of page